Toledo/Espanha sediará nos dias 16 e 17 de abril o Seminário Internacional: ” A especificidade e Responsabilidade Social para o Sports realização pessoal”.

 

 

Imagem toledo

 

 

 

 

 

 

 

Toledo/Espanha sediará nos dias 16 e 17 de abril o Seminário Internacional: ” A especificidade e Responsabilidade Social para o Sports realização pessoal”.

A Universidade de Castilla-La Mancha, Universidade de Granada, Universidade do Porto, a Aliança Internacional de Gestão do Desporto (AIGD) e Fundação CIEES, organizarão em Toledo, entre os dias 16 e 17 de Abril, o workshop internacional “A especificidade e esportes de Responsabilidade Social para a realização pessoal”.

O Workshop internacional, é um epílogo do I Congresso Internacional de Responsabilidade Social Corporativa e Gestão Desportiva, realizado em Granada de 21 à 23 de Maio de 2014, e tem como objectivo, criar uma rede de intercâmbio de experiências entre a Responsabilidade Social das organizações desportivas e entidades sociais; criar grupos de trabalho entre as diferentes partes interessadas(empresas, governo, federações desportivas, etc.) e exibir os modelos de mensuração de inclusão bem sucedida através do esporte.

O comitê científico do workshop sobre a Especificidade e RSD é formado por Valentín Moreno Molina, da Universidade de Granada (Espanha) como presidente, e vogais Pedro Jiménez Estévez, da Universidade de Castilla -La Mancha ( Espanha); Andrés Martínez Medina, Presidente do CIEES (Espanha) Foundation; Juan Fernando Álvarez Rodríguez, professor na Universidade Católica da Colômbia (Colômbia); Abel Santos, professor do Instituto Politécnico de Santarém (Portugal); Carlos Andrade Guzmán, professor da Universidade Diego Portales do Chile (Chile); Leopoldo Gutiérrez, professor da Universidade de Granada (Espanha) e Bruna Santos University (Brasil).

O comitê organizador do workshop é presidido por Sonia Morales Calvo, da Universidade de Castilla-La Mancha (Espanha), Ignacio Ruiz Guerra, da Universidade Complutense de Madrid (Espanha), Raquel Amorim, CAPES (Brasil) e Ruan Diego Schiestl, Universidade do Porto (Portugal).

As linhas de pesquisa que são de maior interesse para o Workshop Internacional, serão divididas em três grupos principais: Sessão Científica 1, dedicada à Sociologia da Especificidade, Serviços Sociais e de lazer, e por fim, Especificidade e sua avaliação;  Sessão Científica 2, irá abordar a Especificidade e Economia, Retorno da Especificidade para à Sociedade, e também, Rácios de Medição da Responsabilidade Social Desportiva; Sessão Científica 3, Ferramentas de Inclusão através da RSC em clubes desportivos, Desenvolvimento Pessoal no Desporto e Treinamento Esportivo.

A organização providenciou o contato eletrônico info@fundacionciees.org, para qualquer informação adicional sobre o workshop internacional.

 

 

Rio 2016 e Correios apresentam operação logística para movimentar 30 milhões de itens para os Jogos

Organização dos Jogos Rio 2016 prevê a aquisição de mais de 30 milhões de itens (Foto: Thinkstock)

Serão mais de 17 mil entregas, um milhão de encomendas, 30 mil camas, 120 mil cadeiras… com uma área de armazenagem equivalente a 12 Maracanãs

O maior evento esportivo do planeta exige uma logística complexa. Para preparar e montar os palcos dos Jogos Rio 2016, por onde passarão quase 15 mil atletas de 205 países, serão movimentados 30 milhões de itens em quatro regiões da cidade. Para isso, o Comitê Organizador assinou nesta sexta-feira (30) um novo contrato de parceria com os Correios, operador logístico oficial dos Jogos Rio 2016.

Serão mais de 17 mil entregas, um milhão de encomendas, 980 mil partes de equipamentos esportivos, 120 mil cadeiras, 30 mil camas, 30 mil colchões, 25 mil mesas, 18 mil sofás, 36 mil bagagens de atletas, 8,6 mil amostras de antidoping e 300 quilômetros de barreiras (alambrado), para citar alguns exemplos da complexidade da operação. A área total de armazenagem é de 100 mil metros quadrados, divididos em três armazéns, o equivalente a 12 estádios do Maracanã.

Mais de 2 mil pessoas estarão envolvidas com a operação logística por parte dos Correios. Serão utilizados cerca de 170 caminhões e 2 mil equipamentos de movimentação – prateleiras, empilhadeiras, trator, guindaste e outros. No total, serão aproximadamente 200 veículos, que percorrerão 1,2 milhão de quilômetros.

Empresa 100% estatal, os Correios – que foram selecionados em um processo de concorrência internacional – repetem a experiência bem sucedida da operação logística dos Jogos Pan Americanos Rio 2007, quando ficaram encarregados de todo o transporte e montagem da estrutura da competição — foi a primeira vez no mundo em que uma empresa de correios realizou uma atividade do tipo. Além de operadores logísticos, os Correios também patrocinam a realização dos Jogos Rio 2016.

Fonte: www.rio2016.com

Rio 2016: Vila dos Atletas vai custar cinco vezes mais do que o previsto!

Vila dos Atletas Rio 2016 (Foto: André Durão)

Parque interno da Vila dos Atletas em janeiro de 2015 (Foto: André Durão)

A diferença entre os valores do uso da Vila dos Atletas no dossiê de candidatura dos Jogos Olímpicos do Rio e o preço final chamou a atenção do Tribunal de Contas da União (TCU) em seu mais recente relatório sobre as obras olímpicas. O dossiê, finalizado em outubro de 2008, informa que o teto do aluguel da instalação pago pelo Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016 seria de US$ 18,9 milhões (R$ 51 milhões, na cotação atual). Em abril de 2014, no entanto, esse valor foi definido em R$ 254,9 milhões, cinco vezes mais. Não por meio de aluguel, mas por usufruto por 17 meses a partir de março de 2016. A organização explica, porém, que o orçamento feito com base na Vila dos Jogos Pan-Americanos de 2007 precisou sofrer importantes modificações.

A Vila dos Atletas está sendo construída na Barra da Tijuca por um consórcio formado por Carvalho Hosken e Odebrecht, ao custo de R$ 2,9 bilhões financiados pela Caixa Econômica Federal. Depois dos Jogos vai virar o condomínio residencial Ilha Pura. São 3.604 apartamentos divididos em 31 prédios e sete condomínios, que vão hospedar 10.500 atletas nas Olimpíadas e 4.350 nas Paralimpíadas. Embora o Comitê Rio 2016 funcione com recursos privados, o TCU monitora os gastos para que não seja necessária a ajuda do governo federal para cobrir um possível déficit no orçamento de R$ 7 bilhões da entidade – possibilidade rechaçada pelo diretor comercial do Comitê, Renato Ciuchini.

Vila dos Atletas Rio 2016 (Foto: Bruno Carvalho / Brasil 2016 - ME)
Vila dos Atletas em janeiro de 2015 (Foto: Bruno Carvalho / Brasil 2016 – ME)

Para chegar ao valor indicado no dossiê, parte do modelo da Vila do Pan foi seguido, como explica o vice-diretor geral do Comitê Rio 2016, Leonardo Gryner:

- Quando começou a se fazer o projeto é que se deparou com a realidade. De cara, estabelecemos que não pagaríamos aluguel, como estava no dossiê. Fez-se uma estimativa baseada na Vila do Pan. Cresceu o número de apartamentos. Depois, o número de meses de ocupação. Seriam nove. Isso não foi chutado de qualquer maneira. A Fundação Getúlio Vargas liderou esse processo.

Saiba como estão as obras da Vila dos Atletas e de todas as instalações olímpicas

Com os prédios prontos, o Comitê Rio 2016 vai assumir o pagamento de juros no valor de mercado diretamente à Caixa, a desmontagem e a reconversão dos apartamentos, chegando-se aos R$ 254,9 milhões calculados por advogados da entidade olímpica, da Ilha Pura e da Caixa. Porta-voz da Ilha Pura, Maurício Cruz acredita que o valor é justo. Ele estipulou uma conta, caso a operação fosse feita através de aluguel. Seriam R$ 15 milhões por mês para ocupar os 3.604 apartamentos, pouco menos de R$ 4.200 por unidade. Valor aproximado ao aluguel de um apartamento de três quartos no condomínio Península, também na Barra da Tijuca, similar ao Ilha Pura.

- Um apartamento da Ilha Pura vale, em média, R$ 1,2 milhão. Então, está se pagando 0,39% do valor do apartamento. No mercado imobiliário nessa região, o valor do aluguel é em torno de 0,4%, 0,5%. A operação é claríssima e transparente. O que está errado é o orçamento original. Se você pegar R$ 50 milhões, você alugaria cada apartamento por R$ 800 reais. Nem uma casa na favela tem um aluguel como esse – disse Cruz.

Principal empreiteira na construção da Vila dos Atletas, a Carvalho Hosken havia se comprometido a desenvolver o projeto, mas não participou do valor estipulado pelo dossiê, segundo o porta-voz da Ilha Pura.

- Não fizemos aquele orçamento. Foi uma estimativa, imagino que sem muitos detalhes. Como todo projeto, há erros de estimativa que podem ser para mais ou para menos. As exigências de uma Olimpíada são maiores do que no Pan. Depois que o projeto ficou pronto, soube-se o que ia fazer. Essa operação só existe onde há Olimpíada. Se não fosse uma Olimpíada ninguém faria 31 torres ao mesmo tempo. Ela foi desenhada para resolver um problema de hospedagem de 18 mil pessoas. Só os juros que essa operação gerou por ter sido feito de uma vez só foram enormes – disse Cruz.

O cronograma da Vila dos Atletas prevê que o primeiro dos sete condomínios será desocupado dois meses depois das Olimpíadas, em outubro de 2016, e o último em agosto de 2017, que será usado nas Paralimpíadas e terá que ser readaptado antes da entrega ao proprietário final.

- Queríamos reduzir a ocupação ao máximo. Fizemos uma série de exercícios com a prefeitura e com a Ilha Pura. Cada imóvel que devolvermos não pagaremos mais o usufruto. Só os que estiverem sendo usados. Aí chegou-se ao valor final. A Caixa exigiu uma série de garantias. O Rio 2016 não tem bens, então foi preciso fazer o depósito de tudo antes. Pedimos um desconto, mas isso não existia – disse Gryner.

01ALUGUEL DA VILA DO PAN TEVE PREÇO ACIMA DO MERCADO

Legado do pan: Vila Pan-americana (Foto: Leonardo Filipo)Vila Pan-americana: problemas sem fim (Foto: Leonardo Filipo)

Em 2007, os 1.490 apartamentos da Vila do Pan foram alugados por R$ 25 milhões, quase R$ 10 milhões acima do valor de mercado, que era de R$ 15,4 milhões, como alertou o TCU e denunciou o Ministério Público Federal em 2011. Naquela ocasião, a Caixa Econômica Federal havia oferecido juros em condições especiais e em troca recebeu 300 apartamentos. O MPF denunciou o então ministro do Esporte e ex-governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, e o ex-presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Eduardo Mattoso. A ação também incluiu o então vice-presidente do Comitê Organizador do Jogos Rio-2007 (CO-Rio) e do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), André Gustavo Richer, o ex-secretário de Esporte de Alto Rendimento, André Almeida Cunha Arantes, o CO-Rio e a construtora Agenco. O processo corre na 21ª Vara Federal do Rio de Janeiro e e ainda não tem sentença do juiz. Teve decisões liminares e vem sendo objeto de vários recursos.

Desde que foi inaugurada, a Vila do Pan enfrenta problemas como ruas do entorno, que não receberam o estaqueamento devido e afundaram. A prefeitura já fez algumas tentativas infrutíferas para contornar a situação. Em fevereiro, deve iniciar obras com previsão de um ano de duração ao custo de R$ 85 milhões, como informou o Bom Dia Brasil em dezembro do ano passado. A falta de uma quadra de esportes e de um shopping, promessas que não foram concluídas pela construtora Agenco, também são motivo de reclamação dos moradores.
Terminado o Pan, cerca de 500 compradores se depararam com os problemas de finalização e com o saldo devedor devido aos juros cobrados. Parte deles, insatisfeita com o que encontrara ou sem conseguir pagar o total, entrou na Justiça contra a Agenco para reaver o valor da entrada. Em 2010, cerca de 130 apartamentos foram devolvidos e leiloados.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/olimpiadas/noticia/2015/02/baseado-no-pan-uso-da-vila-dos-atletas-custa-cinco-vezes-mais.html

TOCHA RIO 2016 PERCORRERÁ TODOS OS ESTADOS BRASILEIROS

Comite-organizador-dos-jogos-olimpicos-Rio-2016-apresenta-as-informacoes-sobre-o-revezamento-da-tocha-olimpica-foto-Tania-Rego-Agencia-Brasil_201501290008

Confira abaixo o vídeo “Revezamento da Tocha Olímpica Rio 2016″.

O percurso da tocha Olímpica Rio 2016, que terá lugar em 2016, percorrerá todas as capitais de estado do Brasil, para além do Distrito Federal. O anúncio, feito esta quinta-feira pelo Comité Organizador, revela que a chama Olímpica passará por cerca de 250 cidades, passando próximo de 90% da população. O encontro inédito da histórica chama Olímpica com o calor humano do povo brasileiro promete muitas emoções:

“Ao conquistar os Jogos Olímpicos de 2016, prometemos integrar o país aos Jogos – um evento feito por todos, para todos os brasileiros e com a cara do Brasil para o mundo. Realizar o Percurso da Tocha Olímpica no país inteiro é cumprir essa promessa e dar a milhões de pessoas a chance de participar numa comemoração que ficará na memória”, disse Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comité Rio 2016.

Após a tradicional cerimónia de acendimento na cidade grega de Olímpia, berço dos Jogos Olímpicos da Antiguidade, a chama deve chegar ao Brasil entre 90 a 100 dias antes do início dos Jogos Rio 2016. A tocha será transportada por pelo menos 10.000 pessoas ao longo de cerca de 20.000km, além de voar mais de 16.000 kms pelo país até o dia 5 de agosto de 2016, quando ser acesa a pira Olímpica na cerimónia de abertura, no Maracanã.

Processo de escolha dos portadores da tocha acontece este ano

O processo de indicação dos poradores da tocha acontecerá em 2015 e será realizado em parceria com os patrocinadores oficiais do percurso: Coca-Cola, Nissan e Bradesco.

Também lançada esta quinta-feira, a marca do percurso faz referência ao design da própria tocha Olímpica, que foi escolhido num concurso nacional no ano passado e que será lançado ao público ainda neste ano.

As cores quentes da marca remetem à chama e ao calor humano dos brasileiros, fazendo uma alusão ao que se espera do revezamento da tocha Olímpica no Brasil: um evento único, em que a celebração dos brasileiros de Norte a Sul do país abastecerá a chama Olímpica de energia contagiante. Essas cores quentes vão fazer parte do look das cidades, que também será revelado por completo ainda este ano.

 

COI E UNESCO UNEM-SE PARA MELHORAR EDUCAÇÃO FÍSICA NAS ESCOLAS

FP2_3390-copy-598x400

 

Click na Imagem para abrir PDF Completo.

O Comité Olímpico Internacional (COI) e a Unesco, em parceria com varias entidades internacionais, desenvolveram em conjunto novas linhas de orientação que pressionam os governos e áreas estratégicas de educação de cada país a investir na quantidade e qualidade da Educação Física que oferecem nas escolas.

Estas linhas mestras de orientação vão ao encontro da missão do COI que prevê a inclusão da Educação Física em todos os currículos escolares em todo o mundo, assim como a promoção dos valores olímpicos. A sua apresentação teve lugar na reunião do Comité Intergovernamental para a Educação Física e Desporto (CIGEPS), na sede do COI, em Lausanne.

Para o Presidente do COI, Thomas Bach, “a Educação Física nas escolas é crucial uma vez que o desporto desempenha um papel central no sistema educativo, não apenas como forma de combate à obesidade e sedentarismo, mas também pelos efeitos positivos do exercício físico, cientificamente comprovados, no desenvolvimento social e intelectual dos jovens. Esta parceria com a UNESCO irá permitir que a Educação Física seja parte integrante do currículo escolar promovendo assim uma mente sã num corpo são”.

O exercício nas escolas é a melhor forma de alcançar os jovens e combater a inatividade. Estas linhas de orientação são uma ferramenta que ajudará os Governos a reverter o declínio do investimento na Educação Física nas escolas, que se tem verificado em vários países recentemente. Este documento garante um enquadramento que ajudará quem define as estratégias nacionais educativas a remodelar o modelo da disciplina de Educação Física, fornecendo ainda conselhos práticos para a implementação das linhas orientadoras.

Este programa terá uma fase piloto, que testará a implementação do documento a nível local em cinco países, através de uma colaboração próxima do COI com os Comités Olímpicos nacionais, entre março de 2015 e abril de 2016.

A FADU foi considerada a Federação Mais Ativa da Europa

EUSAAwards14_FADU-526x400

A FADU foi considerada a Federação Mais Ativa da Europa pela Associação Europeia do Desporto Universitário (EUSA). Este é o 2º ano consecutivo que a FADU recebe esta distinção e representa, mais uma vez, o culminar de muito esforço e trabalho, não só da federação, mas essencialmente dos seus Clubes, premiando o país que mais se destaca em termos de organização e participações em eventos da EUSA.

 

Depois de um ano em cheio, este prémio é o reflexo da contínua participação ativa da FADU e dos Clubes nos eventos da EUSA. De realçar que Portugal fez-se representar em 2014 na 2ª edição dos Jogos Europeus Universitários em Roterdão (Holanda,) nas 10 modalidades em competição, por 231 atletas da Universidade de Coimbra/AAC, Universidade do Algarve/AAUAlg, Universidade de Aveiro/AAUAv, Universidade do Minho/AAUM, Universidade de Trás-os-Montes e Alto-Douro/AAUTAD, UP – Faculdade de Desporto/AEFADEUP, IPP – Instituto Superior de Engenharia/AEISEP, Instituto Politécnico de Leiria, Instituto Politécnico do Porto, Universidade Nova de Lisboa e Universidade do Porto.

 

Ao todo, foram mais de 300 participantes, que constituíram 25 equipas de 11 clubes/instituições de ensino superior portuguesas. O nosso país levou também à Holanda cerca de 40 voluntários e trouxe para casa 5 medalhas: uma de Ouro, uma de Prata e três de Bronze.

 

A par da Alemanha e da Turquia, Portugal foi dos países com maior número de equipas e estudantes-atletas a participar, destacando-se também por algumas prestações de relevo e respetiva classificação final.

 

Além destes números, importa destacar o papel de acompanhamento e enquadramento da FADU, na preparação das comitivas portuguesas presentes nos EUGames. Portugal foi dos poucos membros da EUSA que estiveram presentes na visita de inspeção, em maio, que antecedeu os Jogos em Roterdão.

 

Já no mês anterior, em abril, a delegação da FADU participou na Assembleia Geral da EUSA, que incluiu a Conferência e a Gala Anual, evento onde foi anunciada a atribuição da organização à Candidatura de Coimbra aos Jogos Europeus Universitários 2018.

 

Mais perto do final do ano, Portugal recebeu em novembro a reunião do Comité Executivo da EUSA, que aproveitou a presença em Coimbra para conhecer de perto os avanços na organização dos Jogos Europeus Universitários de 2018.

 

Para Filipa Godinho, Presidente da FADU, esta notícia é recebida “com grande orgulho” no revalidar do “forte desempenho do Desporto Universitário Português ao nível Europeu”. “Este ano, com um significado especial, pela celebração dos 25 anos da FADU. Certo é, que foram anos fundamentais, para conseguirmos ter hoje este forte papel internacional, com a liderança de rankings europeus e que são a base para mais êxitos nos próximos anos”, refere a Presidente da federação.

 

O prémio de Melhor Fotografia do Concurso da Comissão de Estudantes da EUSA, atribuído anualmente, fala igualmente português, pois foi entregue a Nuno Gonçalves, fotógrafo que acompanhou a comitiva de Andebol masculino da Universidade do Minho.

 

 

 

TEXTO: FADU

 

Sobre Gestão com Henry Mintzberg

Documentário feito pela Universidade McGill que mostra um pouco das idéias de um dos maiores pensadores da gestão, Henry Mintzberg.

Não se esqueça que amanha a AIGD estará realizando o RUTAS DE LA EXCELENCIA, que traz um conceito semelhante a esse, mostrando o percurso de gestores, professores e dirigentes de sucesso na gestão desportiva. Quer participar, inscreva-se!

Se gostou do vídeo, deixe seu comentário!!!

Mutua Madrid Open de Tênis visto de dentro!

Madrid_tierra-azul-640x372O evento Mutua Madrid Open, acontece sempre na cidade de Madrid – Espanha e nesse ano decorreu entre os dias 03 e 12 de Maio. Desde 2009 o evento é realizado na Caja Mágica, local considerado pelos espanhóis como um “elefante branco”, pois por ser demasiado longe não é palco de outros grandes eventos.

Para começar, gostaria de falar sobre a compra dos ingressos. Não foi fácil! Fui até o local esperando que fosse ser mais rápido e esclarecedor, no entanto, ao chegar à bilheteria, perguntei se aceitavam o meu Visa (Visa Cotação, muitos estudantes que viajam sabem o qual me refiro) e a menina que me atendia respondeu muito simpática com um sorriso no rosto: “Claro! É nosso patrocinador oficial, aceitamos todos os tipos de Visa”. No entanto, perdi vinte minutos até checarem e de modo não surpreendente o cartão não foi aceito (e até agora sem um motivo pontual), depois me disseram que teria de pagar em dinheiro ou com outro cartão. Pois bem, fui eu tentar sacar… perguntei onde tinha um caixa e eles não sabiam me informar, o fato é que somente depois de uma hora consegui comprar os ingressos. Read More…

Footbonaut: Borussia Dortmund e a Inovação no Futebol!

Sabemos a dificuldade que o mercado do futebol tem em aderir a inovação, mas pelo jeito a tecnologia aliada a busca por melhorias no rendimento esportivo ganhou um novo aliado.

Imagine-se dentro de uma sala em forma de cubo, com quatro maquinas prontas para lançarem uma bola apontadas para você, e a mesma sala possuir 64 retângulos onde no momento em que a bola for lançada você deve controla-lá e acertar o retângulo em que luz verde for acesa.

Você deve estar pensando que estou falando de um jogo de computador não é? Mas não é nada disso, o Borussia Dortmund inovou, e a sala que eu mencionei acima existe.

“ACADEMIA versus MERCADO” A importância da rede entre Universidade e Empresa

capamarina

A complexidade da conjuntura do mercado atual é um fato inconteste. A competitividade e a eficiência são, por assim dizer, os elementos que explicam e impulsionam cotidianamente qualquer setor do mercado, exigindo cada vez mais ações empreendedoras de caráter essencialmente inovador. Tal cenário leva a crer que as empresas, de diferentes portes e áreas de atuação, tenham sua sobrevivência no mercado atrelada a uma nova lógica, qual seja, das parcerias. Read More…

1 2 3 4  Scroll to top